Blog
you

Processo de renovação celular da pele

Processo de renovação celular da pele

Por Cleiton Eishima

Atualizado 29/01/21

A pele é o maior órgão do corpo humano e serve como um grande escudo que protege o organismo do ambiente externo. Ela passa por um processo de renovação celular, importante manter a aparência viçosa e a elasticidade. 

Este é um processo contínuo e todos os dias eliminamos células mortas da pele. O processo de renovação celular, em peles jovens, leva em torno de 28 dias para terminar o seu ciclo. Já para peles mais maduras, que já apresentam sinais do tempo, esse ciclo é mais longo e pode levar mais um tempo, em torno de 40 dias.

 

Por dentro da pele

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a pele é formada por três camadas: a epiderme, a derme e a hipoderme. Cada uma tem características únicas e é responsável por atividades  específicas do corpo. 

A epiderme é a camada mais superficial, e é a responsável por proteger o organismo de danos externos e a entrada de substâncias prejudiciais ao corpo. É esse estrato que auxilia no combate à desidratação, pois protege o organismo da saída excessiva de água. É aqui que ocorre a produção de melanina - pigmento responsável pela coloração da pele.

A derme é a parte localizada entre a epiderme e a hipoderme, e é a responsável pela sustentação, elasticidade e resistência. É uma região repleta de vasos sanguíneos e nervos, também encarregada pela produção de suor e do sebo. 

A hipoderme é a última e mais profunda das partes que constituem a pele. É composta por adipócitos - as células de gordura - responsáveis por dar volume e contorno para a pele. Serve como reserva energética e auxilia no reparo da temperatura do corpo.

 

A esfoliação é uma grande aliada para o processo de renovação celular da pele
A esfoliação é uma grande aliada para o processo de renovação celular da pele

 

A importância da renovação celular da pele

O processo renovativo tem início nas partes inferiores da epiderme, e acontece de maneira com que células novas sejam transportadas até a camada superior, substituindo células mortas. É um processo contínuo e que acontece todos os dias.

A todo instante as células da pele vão morrendo, sendo descartadas e substituídas por novas. A exposição aos raios UV acelera esse processo e é possível vê-lo a olho nu - a famosa descamação. A pela que sai, corresponde às células mortas que, mais aceleradamente, estão sendo substituídas por novas.

Essa atividade é importante para a retirada das células mortas e manutenção da saúde da pele, pois renova a sua proteção natural, além da devolução do seu  brilho natural, responsável por conferir todo o aspecto de vivacidade e saúde. No entanto, a longo prazo e com exposição excessiva, pode danificar e contribuir para o envelhecimento precoce.


Como recuperar e devolver o processo renovativo

A esfoliação - tanto mecânica, quanto química -  pode ser feita para estimular esse processo de renovação. Este processo é indicado principalmente para as peles maduras, já que, naturalmente, ele acontece de maneira mais lenta. O processo esfoliativo deve ser feito com cuidado, no máximo uma vez por semana, pois quando feito exageradamente, a película protetora da pele é danificada e pode acarretar  no ressecamento e aumento da sensibilidade da região.

Ativar a proliferação de novas células para as regiões, por meio de tratamentos com preenchedores, também pode ser um importante passo neste processo (aqui explicamos como inserir o Preenchedor na rotina). Ativos, como o Cellfie 2%, que atingem a hipoderme devolvendo funções perdidas com o tempo - como a proliferação das células de gordura - podem contribuir para a renovação de maneira profunda, seja de maneira tratativa ou preventiva. 

cuidados com a pele envelhecimento da pele saúde da pele